quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Machismo leva à culpabilização da vítima de violência sexual, diz especialista

Após pesquisa Datafolha mostrar que mais de 33% da população brasileira considera a mulher culpada pelo estupro, o integrante do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) Rafael Alcadipani destacou a culpabilização da vítima e o grau de proximidade dos agressores entre os dados mais alarmantes.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

"As mulheres apanham de norte a sul do Brasil"

“Enquanto os agressores não forem punidos, a violência não vai diminuir. Eles devem ser punidos, sejam quer for. Seja o marido da vítima, seja o promotor que está abusando de uma vítima em uma audiência, seja um deputado que é réu numa ação já recebida pelo STF”, declarou a vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal, Daniela Teixeira, referindo-se ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), réu no Supremo Tribunal Federal por injúria e apologia ao estupro.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Revenge porn: o que é e como prevenir?

Tudo começa com uma mensagem de flirt, que puxa outra mais explícita, que faz nascer uma foto mais ousada e, quando se dá pela coisa, já circulam imagens de corpos nus e vídeos de sexo caseiro sem que um dos interlocutores saiba. Normalmente, é a mulher o interlocutor que desconhece que a sua intimidade não é assim tão íntima. Chama-se a isto revenge porn, ou pornografia de vingança, numa tradução livre. E acontece quando um dos membros que antes se deleitava com este jogo erótico se cansa das regras e as altera sem avisar. As imagens são rapidamente distribuídas online, postadas em fóruns e outros buracos da internet para gáudio de quem vê e comenta e, sobretudo, da mão que carregou no play.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Temer deveria explicar aos trabalhadores braçais que eles vão dançar

Cortador de cana
Servente de pedreiro
Profissional do sexo
Carvoeiro
Roçador de juquira
Operário de frigorífico
Colhedor de fumo
Mineiros
Segurança particular
Gari
Motoboy
Pescador comercial
Trabalhadora empregada doméstica
Caminhoneiro
Costureira
E, sem se esquecer, professor.

Um em três culpa a mulher pelo estupro. Outros tantos assistem em silêncio

Um em cada três brasileiros concorda que a mulher vítima de estupro é responsável pela violência sexual que sofreu. A pesquisa, realizada pelo instituto Datafolha e encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, foi divulgada nesta quarta (21). Dos entrevistados, 30% acham que a afirmação ”A mulher que usa roupas provocativas não pode reclamar se for estuprada” está correta. O percentual é o mesmo entre homens e mulheres e aumenta entre idosos e pessoas com menor grau de escolaridade.

domingo, 25 de setembro de 2016

Não ignorar o que sofre

Quem segue Jesus vai-se fazendo mais sensível ao sofrimento de quem encontra no seu caminho. Aproxima-se do necessitado e, se está nas suas mãos, trata de aliviar a sua situação.

sábado, 24 de setembro de 2016

Esta campanha da H&M destrói todos os padrões construídos sobre ser mulher

A fast fashion H&M acertou em peso na sua mais recente campanha da coleção de outono.
 A multinacional apostou em um clip empoderado que desconstrói os padrões de beleza e de comportamentos naturalizados como ~femininos~.Afinal, ser mulher significa ser e fazer o que você quiser. E é essa a mensagem do vídeo:

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Espetáculo vai retratar o cotidiano da rua Guaicurus em novembro

Foto: Fernando Badharófoto / O Tempo
Peça sobre uma das maiores zonas de prostituição do Brasil depende de um financiamento coletivo para estrear em novembro na mesma rua 
Espetáculo "Rua das Camélias", que retrata o cotidiano da rua Guaicurus, uma das maiores zonas de prostituição do Brasil, estreia em novembro no Hotel Imperial Palace, na rua Guaicurus. Para viabilizar o projeto, a Companhia Vórtica lançou uma campanha de financiamento coletivo, disponível no link: http://variavel5.com.br/projetos/ruadascamelias.

23 de setembro - Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças


Segundo dados do Escritório da Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) de 2009 mostram que o tráfico de pessoas representa lucros que ultrapassam os 30 bilhões de dólares e que atinge mais de 2,4 milhões de pessoas no mundo inteiro. Indicaram, ainda, que 66% das vitimas são mulheres, 13% eram meninas, enquanto apenas 12% eram homens e 9% meninos. Só na América Latina, esse número é estimado em cerca de 700 mil vítimas.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

A vida das trabalhadoras sexuais na maior favela do mundo

Kahfee, de 41 anos, trabalha como prostituta desde os 19. Ela não faz ideia de quem são os pais de seus filhos. Foto: Edu Martins/ VICE Brasil
Kibera, que você já viu no filme O Jardineiro Fiel, é um imenso pedaço de terra sem saneamento e outros direitos básicos que, mesmo assim, reúne gente que espalha por 15 grandes comunidades em Nairóbi, a capital do Quênia. Ocupada por soldados núbios na década de 1910, Kibera significa "floresta" – o que de fato era antes de se tornar, ao longo de um século, na maior favela do mundo.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

14 sinais de que você é vitima de abuso psicológico – o Gaslighting

VOCÊ SÓ PODE ESTAR LOUCA, ISSO NUNCA ACONTECEU
 CUIDADO, VOCÊ ESTÁ DESCONTROLADA
 ISSO É COISA DA SUA CABEÇA

Se o seu companheiro fala com frequência uma dessas frases ou coisas semelhantes, se você duvida da sua percepção diante dos fatos e da sua sanidade mental, cuidado, você pode estar sendo vítima de abuso emocional, também conhecido como gaslighting.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

‘Véu também é liberdade’: a vida de uma muçulmana feminista no Brasil

Dana Albalkhi, 27, veste uma jaqueta de couro, brincos dourados de bolinha e jeans quando encontra a reportagem da BBC Brasil. Formada em literatura inglesa, ela dá aulas num colégio particular de São Paulo e quer voltar a estudar. Sozinha no Brasil, onde chegou há três anos, fez vários amigos brasileiros, e sente saudades da família que deixou na Síria. Dana é muçulmana, mas sua religião – e o véu florido que usa sobre a cabeça – não são o que melhor a definem.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Prostituição em São Paulo tem uma longa história

 Elas chegaram no século dezenove a São Paulo, vindo para trabalhar nos cafés e bordéis que, na época, eram dominados pelas prostitutas francesas.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Encontro de Mulheres "Filhas da Luta"


Nos dias 14,15 e 16 de setembro, mulheres acompanhadas pelos Projetos Oblatas de Belo Horizonte (MG) , Salvador (BA) e Juazeiro(BA) se reuniram em Belo Horizonte para partilhar experiências e debater a situação das mulheres que exercem na prostituição nessas cidades.

Até quando? Série questiona silenciamento e impunidade em casos de violência sexual

Série propõe discussão sobre a impunidade de crimes de violência sexual. “É uma discussão que precisa acontecer”, explica a autora Yana Mazurkevich (Foto: Yana Mazurkevich)
Todo mundo conhece alguém que, em algum momento da vida, foi vítima de um episódio de assédio e abuso sexual. O rastro destes números, apesar de silencioso, é desolador; é a prova cruel e implacável de que este tipo de violência pode chegar a qualquer pessoa, a qualquer momento. Essa é a mensagem do projeto “It Happens”, uma série lançada na plataforma Current Solunts que alerta para o perigo da impunidade e do silêncio em relação aos casos de violência sexual. Nós precisamos falar sobre isso, cada vez mais.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Como as rotinas de crianças podem ser profundamente marcadas por gênero?

Relações de gênero permeiam o cotidiano das crianças desde cedo. Meninas e meninos aprendem, por processos ora sutis, ora escancarados, qual é o lugar social que devem ocupar na sociedade em função de seu sexo. Procurando compreender como crianças vivenciam essas relações de gênero em suas rotinas fora da escola, realizamos uma pesquisa que foi publicada no artigo Casa, rua, escola: gênero e escolarização em setores populares urbanos (SENKEVICS & CARVALHO, 2015). Neste texto, trazemos uma síntese de nossos resultados.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Vítima de estupro, menina de 14 anos é humilhada por promotor durante audiência

O promotor de Justiça Theodoro Alexandre, do Rio Grande do Sul, ofendeu e humilhou de forma machista uma adolescente de 14 anos, estuprada pelo próprio pai. Para o promotor, a garota era culpada pelo caso, teria mentido e ‘facilitado’ o abuso.

Mulheres e meninas do mundo gastam 200 milhões de horas por dia coletando água

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) advertiu no final de agosto (29) que mulheres e meninas em todo o mundo gastam 200 milhões de horas por dia coletando água.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Por que refugiados afegãos se tornaram vítimas da prostituição infantil na Grécia

Jovem refugiado caminha diante das tendas no campo de refugiados Helliniko
Seu olhar é inquieto, seus gestos são febris e sua voz é quase suplicante. "Por favor, vamos conversar mais tarde, não quero chamar a atenção". Aquele que chamaremos aqui de Mohammed (a pedido de anonimato) é um jovem afegão bem distante dos 18 anos que ele afirma ter. Nessa noite, assim como em quase todas as noites nos últimos três meses, ele espera pelo cliente no parque Pedion tou Areos, situado no coração de Atenas.

Rota migratória intensifica máfia da prostituição na Itália

Tráfico de nigerianas, denunciado há ao menos três décadas na Europa, dobrou de 2015 para 2016

A nigeriana Isoke Aikpitanyi, de 38 anos, chegou à Itália com a perspectiva de trabalhar. Acabou numa rede de prostituição, explorada pelas máfias italiana e nigeriana. Foi humilhada, violentada por traficantes e obrigada a trabalhar nas ruas de Turim por 10 euros o programa.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Mercado da prostituição sofre queda de até 50% em Belo Horizonte

Perfil. Com faturamento menor, prostitutas ocupam trecho maior da avenida Afonso Pena em busca de clientes
Mulheres e donos de estabelecimentos especializados reclamam que crise derrubou demanda de clientes.

domingo, 11 de setembro de 2016

Quebrando paradigmas

“O segundo paradigma que Lucas quebra o encontramos nos protagonistas que Jesus usa nas suas parábolas para descrever a ação misericordiosa de Deus: um pastor e uma mulher pobre”.

sábado, 10 de setembro de 2016

Mulheres e feminismo diante do dilema da maternidade

"Como renovar o feminismo sem perder o sentido profundo e rico das relações femininas tradicionais? Sem nos condenarmos a uma sociedade fria e dominada pelo útil, pela utopia do prazer? Como fazer para que as mulheres, também do ponto de vista do comportamento sexual, não se tornem "um homem como qualquer outro", mas possam permanecer como são?"

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Japonesa forçada a prostituição ‘esteve’ com 1,3 mil homens em 8 meses

Uma mulher, de 29 anos, disse à Polícia Metropolitana de Tóquio que foi forçada por uma “amiga” a se prostituir em Tóquio e na província vizinha de Shizuoka, entre outubro do ano passado e junho deste ano, período que afirma ter “dormido” com aproximadamente 1,3 mil homens, informou ontem (2) o jornal ‘Sankei’.

Campanha da C&A sobre diversidade gera polêmica nas redes sociais

Pelo menos duas fotos da campanha Entre na Mistura, da rede de fast fashion C&A estão dando o que falar nas redes sociais. Com o objetivo de abordar o tema da diversidade, a marca optou por modelos com biótipos que fogem ao tradicional, como Maria Luiza Mendes, que se define em seu perfil no Facebook como plus size. No entanto, a imagem da modelo, compartilhada nas redes sociais da loja e acompanhada dos dizeres "Sou gorda & sou sexy", não agradou os internautas.

Prostituta abre ação contra casa de massagem de Florianópolis para reconhecimento trabalhista

A Justiça negou o pedido de uma prostituta de receber verbas rescisórias após ter sido demitida do estabelecimento onde trabalhava em Florianópolis. A decisão foi da 1ª Câmara do TRT-SC (Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina), que afirmou que não há vínculo de emprego entre a casa que explora a prostituição e a prestadora desses serviços, “ante a ilicitude do objeto que sustenta a relação jurídica”.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

O Projeto Oblata "Diálogos pela Liberdade" no Grito dos Excluídos

A Equipe do Projeto Oblata em BH com o bispo D. Joaquim Mol
Mais de 10 mil pessoas  participaram da  22ª edição do Grito dos Excluídos em Belo Horizonte. Foi o maior dos últimos anos (o ano passado contou apenas com 500 pessoas). Neste ano, procurou-se evidenciar a defesa da "vida em primeiro lugar" e  o tema era "Este sistema é insuportável: exclui, degrada, mata!" . Além do “Fora Temer”, os manifestantes defenderam a democracia, a manutenção dos direitos dos trabalhadores e criticaram a reforma da Previdência. Os participantes se reuniram na Praça Raul Soares e marcharam até a Praça da Estação. A marcha contou com intervenções culturais.

Existe “ideologia de gênero”?,

“Não faz nenhum sentido dizer que os estudos de gênero negam a biologia; os estudos de gênero discordam é do determinismo biológico – quando a biologia é utilizada pra definir nosso destino social.” Em entrevista, a doutora em Educação Jimena Furlani, que desenvolveu extensa pesquisa sobre o assunto, explica os equívocos do conceito.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Grito dos Excluídos em Belo Horizonte - 7 de setembro

Em Belo Horizonte, pastorais, movimentos sociais e entidades participam do 22º Grito dos Excluídos, no dia 7 de setembro. Este ano, o evento traz o tema “Este sistema é insuportável: exclui, degrada, mata!”. A organização pretende debater situações atuais do contexto brasileiro.
Programação:
9h - Concentração na Praça Raul Soares (Centro de Belo Horizonte)

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Para combater o machismo, educação em casa é essencial

Tarefa de conter essa mancha é enorme. Precisa começar na família, já que as crianças aprendem por imitação
Temos cifras escandalizantes de maus tratos e assassinatos contra mulheres. Damos muita ênfase às leis e, tenho a sensação, ignoramos a questão educativa na infância, a origem de todas as personalidades adultas. De que servem leis exemplares quando a mulher já está morta? De que servem condenações exemplares se o machismo continua correndo solto?