terça-feira, 25 de outubro de 2016

Em Brasília, políticos usam dinheiro público para pagar prostitutas de luxo

Para ficar 30 dias com garotas de programa, em hotéis cinco estrelas de Brasília, políticos de vários estados e do Distrito Federal chegam a pagar até 40 mil reais pelas noites de prazeres. A grana é do erário.

  
Camila. 25 anos, gaúcha de um metro e 79 de altura e de corpo escultural trocou a vida atribulada de modelo pela vida fácil de prostituta de luxo que chega a faturar até 40 mil reais por mês.



Os seus clientes vip são da Câmara dos Deputados, do Senado da República, das Assembléias Legislativas, Prefeituras, da Câmara Legislativa, ministros e tem até um governador de um importante e destacado ente federativo. Ela não cita nomes. Diz que é profissional do sexo que presa pelo sigilo absoluto de sua clientela.

A gaúcha que deixou a carreira de modelo e a faculdade de psicologia em Porto Alegre em troca de prazeres, luxúria e dinheiro diz que os contratos são confidenciais. Ele cobra por um programa de uma hora R$ 3 mil reais e por uma noite inteira R$ 5 mil. Se for para ficar um mês a disposição do político o cachê chega a R$ 40 mil.

A regra número um, que não se importa de cumpri, é o confisco do celular. Os seus clientes exigem discrição, sem fotos e sem imagens. Ela conta que os políticos, altos executivos inclusive de grandes empresas envolvidas na lava jato, bem como famosos do mundo do futebol preferem bancar garotas de programas como ela do que se envolver com amantes.

Camila diz ter certeza de que a grana gasta neste tipo de prazer do sexo não vem do contracheque de quem paga. Assim, sendo, ela acredita que as noites de prazeres são de alguma forma, bancada com o dinheiro público.



Fonte: www.radardf.com.br/

Nenhum comentário: